Você sabe o que é Periodontite?

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 90% da população mundial é atingida pela condição, sendo uma das principais causas de perda dentária.

Periodontite, também conhecida como doença periodontal, é o estágio mais avançado da inflamação da gengiva – gengivite e geralmente, sua principal causa é a higienização bucal inadequada.

Essa condição cria um buraco na gengiva, entre outros sintomas que acabam prejudicando a saúde bucal.

Após anos de uma inflamação da gengiva maltratada, os danos se estendem para o periodonto, decido que divide os dentes da mandíbula. Após um tempo, o dente começa a perder a estabilidade e eventualmente, pode cair.

A aqueles que sofreram com a perda de algum dente(s) devido a doença periodontal, uma solução para o problema é o implante dentário.

Mas é de suma importância aderir ao tratamento antes de receber o implante para que a doença não se instale nos dentes vizinhos e nem na própria prótese.

A inflamação surge devido ao acúmulo de bactérias na gengiva decorrentes da má higienização bucal.

Com isso, as placas bacterianas não são eliminadas e posteriormente, se calcificam e se transformam em tártaros, provocando uma grande irritação na região dos dentes e gengiva.

Existem algumas condições que podem aumentar os riscos de desenvolver a doença periodontal como: diabetes, obesidade, tabagismo e problemas hormonais.

Sintomas e tipos de periodontite

Os sintomas da doença periodontal só costumam ser incômodos ao paciente quando já estão em fase avançada. Por este motivo, é de extrema importância ficar atento aos seguintes sintomas:

  • Sangramento das gengivas durante a escovação ou uso de fio dental;
  • Sangramento das gengivas na durante a ingestão de alimentos, como a maçã, por exemplo;
  • Gengivas inchadas e avermelhadas;
  • Gengivas sensíveis ao frio e calor;
  • Mau hálito persistente;
  • Existência de pus entre as gengivas e os dentes;
  • Gengivas recuadas, fator que deixa os dentes com um aspecto alongado;
  • Bolsas profundas entre as gengivas e os dentes;
  • Dentes com o aspecto de soltos e separados dos demais;
  • Alteração na posição dos dentes ao morder alguma coisa.

No caso da aparição frequente dos sintomas citados acima, é essencial marcar uma consulta o quanto antes.

Os 4 tipos mais comuns de periodontite são:

  • Periodontite crônica: É a forma mais comum da doença periodontal e afeta predominantemente pessoas adultas. A inflamação e recuamento das gengivas e a perda óssea pode evoluir de uma forma mais lenta se comparado aos outros tipos de periodontite;
  • Periodontite agressiva: Pode afetar qualquer pessoa e se desenvolve de forma rápida e destrutiva, causando perda óssea e a deterioração das gengivas;
  • Periodontite associada a doenças sistêmicas: Neste caso, a doença periodontal está associada a outras doenças, como a diabetes ou doenças cardíacas;
  • Periodontite ulcerativa necrosante: Uma das formas mais graves da doença periodontal, ela se manifesta através da morte dos tecidos gengivais que apoiam a estrutura dentária. Pessoas imunodeficientes e que sofrem de má nutrição têm maior risco de sofrer com este tipo de periodontite.

Tratamento

O primeiro passo para tratar a doença periodontal é marcar uma consulta dentária para que se possa avaliar o estado ósseo da boca, remover a placa bacteriana acumulada e os tecidos moles inflamados.

Existem também tratamentos a laser, assim como tratamentos medicamentosos complementares com anti-inflamatórios e antibióticos.

Em casos avançados da doença, pode ser necessária uma intervenção cirúrgica. A raspagem também é um tratamento comum para a periodontite, pois consiste na remoção mecânica da placa bacteriana presente nos dentes.

Algumas mudanças de hábitos também podem ser necessárias, como parar de fumar ou focar em uma alimentação equilibrada, diminuindo o consumo de açúcar.

Além disso, ter melhores cuidados com a higienização bucal e fazer dela um hábito diário é um ponto crucial no tratamento da doença periodontal.

Prevenção

Quando falamos sobre saúde bucal, a prevenção é o melhor remédio. Além de uma higienização oral completa com a escovação diária dos dentes após as refeições, ao acordar e antes de dormir, o uso do fio dental e de enxaguantes bucais e as visitas periódicas ao dentista também são de suma importância.

Também é importante sempre se atentar a possíveis alterações em seus dentes e gengiva.

Além de uma boa higienização e visitas ao consultório odontológico, existem algumas mudanças de hábitos que podem ajudar na prevenção de doenças como a periodontite. São elas:

  • Reduzir o consumo de alimentos extremamente açucarados, especialmente à noite;
  • Reduzir o consumo de bebidas alcoólicas;
  • Parar de fumar;

Periodontite e aparelho odontológico

O uso do aparelho ortodôntico dificulta a higienização dos dentes e da gengiva e por sua vez, pode ocasionar na gengivite e se agravar para uma doença periodontal se não tratada corretamente.

Após colocar o aparelho dentário fixo, diversos fatores acabam sendo novidade na rotina do paciente. Por conta das peças, como os bráquetes e fio ortodôntico, a limpeza bucal precisa ser modificada.

Por isso, hoje há mais alternativas de aparelhos dentários que facilitam mais no dia a dia do paciente, como no caso do uso do Invisalign.

Quando utilizado o aparelho fixo e a limpeza não é feita de forma correta, o aparecimento de problemas bucais se torna mais propício, pois há uma maior retenção de alimentos e a dificuldade da higiene bucal aumentada.

A interrupção do uso do aparelho vai depender de cada caso específico.

Se for uma doença gengival em quadro leve, não há necessidade de interromper o tratamento, contato que o paciente consiga fazer o controle da higienização para reverter o quadro da doença.

No entanto, nos casos em que o paciente não consegue reverter o quadro, a remoção do aparelho deve ser iniciada para que a gengivite não se agrave, se tornando uma periodontite.

Com ou sem aparelho fixo, a higiene bucal é a principal maneira para se prevenir dessas doenças, é utilizar o fio, enxaguante bucal e escovar os dentes de quatro a cinco vezes ao dia.

Fale com um profissional

Para aqueles que se identificaram com os sintomas citados acima, mas mesmo assim desejam colocar o aparelho ortodôntico para melhorar a estética dos dentes, o ideal é conversar com o dentista e analisar as melhores opções de tratamento periodontal.

Existem várias opções de moldes que podem se adequar a você, como os aparelhos linguais, os transparentes e os convencionais.

Faça uma pesquisa nos campos de busca da internet para escolher o que melhor se encaixa às suas necessidades. É interessante utilizar palavras-chave para obter resultados mais precisos.

Se você está fazendo um comparativo de preços em sua pesquisa, opte por utilizar palavras-chave como “aparelho lingual preço” ou “aparelho dentário preço“, de acordo com o que deseja procurar.

É importante ressaltar que em todos os tipos de aparelhos odontológicos a prevenção e higienização correta dos dentes e gengivas é fundamental para evitar doenças periodontais e outros problemas dentários como cáries e placas bacterianas.

Infecções nas gengivas podem se tornar um problema sério e requerem um tratamento imediato.

Identificando os sintomas e observando o aspecto gengival, é essencial buscar a ajuda do dentista para começar o tratamento.

COMENTÁRIOS

Dúvidas? Fale Conosco